Você sabe quais são as Siglas mais usadas na Gestão Empresarial?

Você sabe quais são as Siglas mais usadas na Gestão Empresarial? Se você não sabe o que significa CNAE, CNPJ, CFOP, MEI, Bloco K e H, B2B, B2C, descubra neste blog quais são as siglas mais usadas no meio empresarial.

Entendendo o CNPJ

Na gestão de uma empresa, nos deparamos com diversos processos que iniciam na abertura de um CNPJ, ou vias de MEI, ME, Eireli, EPP e LTDA. Mais você sabe a diferença de cada uma dessas siglas?

CNPJ – O Cadastro Nacional Pessoa Jurídica é criado na abertura de uma empresa, e serve principalmente para que uma empresa funcione de forma regularizada perante o governo, seus clientes e colaboradores.

Existem dois tipos de CNPJs:

  • Pessoas Jurídicas (PJ): são entidades formadas por uma ou mais pessoas, reconhecidas pelo Estado, por exemplo: ONG’s, partidos políticos e empresas de modo geral.
  • Pessoas Equiparadas: que nada mais é que, pessoas físicas que exploram em nome individual, atividades com intuito de ter lucro com isso.

Agora sobre as diferenças entre as modalidades de CNPJs, são elas: MEI, ME, Eireli e LTDA.

MEI significa Micro Empreendedor Individual, essa sigla está destinada a empreendedores autônomos que abrirem uma empresa na modalidade individual e que faturam até R$ 81.000,00 por ano, ou R$ 6.750,00 por mês.

Já o ME significa Micro Empreendedor que se refere a Microempresa, para essa modalidade a receita bruta deve ser igual ou inferior a R$ 360 mil por ano.

Na modalidade LTDA que significa “limitada”, remete a sociedade empresarial limitada, que tem responsabilidade limitada sobre o negócio. Neste caso, a responsabilidade dos sócios é limitada ao quanto de investimento eles têm no negócio. E o seu limite de receita bruta anual está nos R$ 360 mil.

Uma Empresa de Pequeno Porte é chamada de EPP, e é um negócio que se enquadra na receita bruta anual entre R$ 360 mil e R$ 3,6 milhões. 

E por último o Eirele, que significa Empresa Individual de Responsabilidade Limitada, específica para aqueles que querem ter o próprio negócio e ser o único dono. Nesta modalidade, não existe limite de faturamento anual.

O que é CNAE?

A sigla CNAE significa Classificação Nacional de Atividades Econômicas e é responsável por determinar quais atividades são exercidas por uma empresa. A denominação das atividades econômicas do seu negócio é obrigatória para obtenção do CNPJ. Esse código garante uma descrição adequada dos seus serviços, garantindo que o PJ pague apenas, o imposto que é pertinente ao seu negócio.

Para consultar os tipos de CNAE existentes no nosso país, clique aqui.

Processos Contábeis

Já nos processos contábeis existem inúmeras siglas utilizadas pelo governo e pelas empresas para determinar atividades específicas ao seu negócio.

As mais comuns utilizadas são:

COFINS: é um imposto federal cobrado com base na receita bruta das empresas. Que significa Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social.

CFOP: Código Fiscal de Operações e Prestações que define o pagamento de impostos sobre as mercadorias recebidas e transportadas em sua empresa. É formado por 4 dígitos e está relacionado à emissão de notas fiscais e de outros documentos. Consulte todos os códigos CFOP aqui.

CSLL ou CSSL: Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, que quer dizer que a Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL) é um tributo federal cobrado sobre o lucro líquido da empresa.

CST: Código de Situação Tributária se refere a um código de 3 dígitos que determina a tributação (referente ao ICMS) do produto, e estes são classificados, unindo 1 dígito da tabela A com 2 dígitos da tabela B. Para saber mais sobre CST acesse aqui.

DANFE: Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica

DANFe não pode ser confundido com a Nota Fiscal Eletrônica, que é representada pelo arquivo XML. Esse XML é a NF-e de fato, é quem possui validade jurídica e é o arquivo que você deve armazenar.

NF / NFE A sigla mais conhecida no mercado, refere-se a Nota Fiscal de serviço, que também tem a modalidade eletrônica. A NFe é o documento oficial que comprova a realização de uma transação comercial entre empresas jurídicas e pessoas físicas e também de uma empresa (PJ) com outra (PJ).

O DANFe é apenas um “resumo” da nota fiscal, e não é necessário armazená-lo, desde que seu respectivo XML da NFe já esteja sendo armazenado.

DARF: Documento Arrecadação Federal – É uma guia utilizada para o pagamento de impostos, contribuições e taxas à Receita Federal. Praticamente uma espécie de boleto emitido e utilizado por quem precisa recolher algum tributo devido ao governo federal.

DRE: Demonstração do Resultado do Exercício é um documento elaborado anualmente pela empresa, para discriminar o resultado do período que começa em 1 de janeiro e vai até 31 de dezembro. As informações do resultado do ponto de vista contábil e patrimonial líquido do ano, que devem ser as receitas subtraídas das despesas.

DAS: Documento de Arrecadação do Simples Nacional, mais conhecido como DAS MEI, somente as empresas enquadradas no Regime Tributário do Simples Nacional emitem este documento. É a cobrança e a fiscalização de tributos para micro e pequenas empresas.

DFC: Demonstração do Fluxo de Caixa é um relatório financeiro que usa como base as informações do Balanço Patrimonial e do Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE). Mostrando as entradas e saídas de dinheiro do Caixa (caixa + contas bancárias) e equivalentes de Caixa (investimento de baixo risco e liquidez imediata) em determinado período. Levando em conta a divisão de três atividades: Atividades Operacionais, Atividades de Investimento e Atividade de Financiamento.

EFD: Escrituração Fiscal Digital é o ato de natureza contábil que as empresas (PJ) informam aos órgãos fazendários e fiscais suas movimentações financeiras. As entradas e saídas de materiais, compras, vendas, modificações no patrimônio e cumprimento de obrigações trabalhistas, bem como as previdenciárias. Claro, existem muitas outras informações que precisam ser passadas, neste post fizemos apenas um resumo.

ICMS: Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços é um tributo estadual que incide sobre produtos de diferentes tipos, desde eletrodomésticos a pirulitos, e que se aplica tanto a comercialização dentro do país como em itens importados para o nosso país.

IOF: Imposto sobre Operações Financeiras esse é o nome mais conhecido, mais ele tem outro significado que é Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários. um tributo federal, que inclui tanto pessoas físicas quanto pessoas jurídicas (PJ), e que, como o nome indica, incide sobre operações que envolvem crédito, câmbio, seguros e títulos mobiliários.

IPI: Imposto sobre Produtos Industrializados incide nos produtos industrializados, nacionais e estrangeiros e está previsto no art. 153, IV, da Constituição Federal. Este imposto é aplicado sempre que uma mercadoria sai da fábrica. No entanto, nem todos os produtos sofrem incidência do IPI. Além disso, esse imposto não conta com uma alíquota fixa, ou seja, o valor a ser pago varia de acordo com o tipo da mercadoria que será comercializada.

NCM: Nomenclatura Comum do Mercosul refere-se a um código de oito dígitos estabelecido pelo Governo Brasileiro para identificar a natureza das mercadorias, e assim promover o desenvolvimento do comércio internacional, facilitando a coleta e análise das estatísticas do comércio exterior.

PL: Patrimônio Líquido é o indicador da quantia real do patrimônio líquido de uma empresa. É uma informação importante para todos os envolvidos no negócio.

SEFAZ: é a sigla para Secretaria de Estado da Fazenda. Que nada mais é do que um órgão que está presente em todos os estados, e é responsável por fiscalizar, pagar, arrecadar e controlar os recursos públicos de cada estado.

SINTEGRA: Sistema Integrado de Informações sobre operações Interestaduais com Mercadorias e Serviços é um sistema central que concentra informações do contribuinte e as comunica para os fiscos estaduais

SPED: Sistema Público de Escrituração Contábil é uma plataforma que informatizou o encaminhamento das informações das pessoas jurídicas à Receita Federal. Com este sistema, os processos de envio, recepção, validação, armazenamento e autenticação dos livros e documentos relacionados à escrituração contábil e fiscal das empresas, mesmo para aquelas que são imunes ou isentas, passaram a serem feitos eletronicamente. O SPED é estruturado em blocos, como por exemplo Bloco H, Bloco K…

ST: Substituição Tributária é um processo que acontece quando a cobrança do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) é feita de forma antecipada. 

Para conferir a listagem completa das Siglas mais usadas no meio contábil clique aqui.

Processos de Produção

OF Ordem de Fabricação ou mais conhecido como Ordem de Produção (OP), destina-se a um documento que detalha o processo produtivo de cada item fabricado por uma empresa, incluindo detalhes de início, meio e fim do andamento do seu produto desde o pedido até a entrega.

basicamente é a mesma coisa que OP, antigamente era usado com mais frequência pelas empresas, mais vem sendo substituído pelo termo OP.

PCP significa Plano de Controle de Produção é um sistema de gestão que permite mais qualidade, produtividade e redução de custos. Mais especificamente Planejamento, que determina quais produtos serão produzidos e quando; Programação, que define os recursos que serão utilizados do início ao fim do fluxo de produção e o Controle, que realiza o monitoramento para corrigir possíveis desvios e/ou erros identificados.

Processo de Estoque

Bloco H (do SPED) tem o objetivo de informar o inventário fixo do estabelecimento, com as informações de valores e também de itens armazenados.

Bloco K (do SPED) é a versão digital do livro eletrônico de Registro de Controle da Produção e do Estoque. Ele é uma das parte integrante do SPED e em outras palavras, ele é destinado à prestação de informações mensais da produção, como por exemplo gastos com insumos e registro do estoque escriturado dos estabelecimentos.

WMS – Warehouse Management Systems (Sistemas de Gerenciamento de Armazém)

Processo Comercial

B2B e B2C as famosas siglas para E-Commerce, significam (B2B) Business for Business, negócios para negócios, para empresas, para pessoa Jurídica (CNPJ). B2C Business to Consumer, negócios para consumidor, para pessoa física (CPF).

CRM: Significa Customer Relationship Management: consiste em uma estratégia ou um sistema de gestão de relacionamento com o cliente realizada por meio de uma ferramenta de CRM.

ERP: quer dizer Enterprise Resource Planning é um software que integra dados e informações de diversas áreas da empresa, com o objetivo de auxiliar nas decisões estratégicas e obter mais eficiência e controle dos processos operacionais.

ROI: Return Over Investment: é um indicador que mede o retorno sobre investimento. Em síntese, o cálculo permite saber quanto uma empresa está ganhando ou perdendo em cada investimento.

SEO: que quer dizer Search Engine Optimization, de forma simplificada é um conjunto de técnicas para a otimização de buscas na internet. Categorização de palavras chaves positivas e negativas.

De fato, existem inúmeras Siglas que são usadas em todos os departamentos de uma empresa, do início ao fim. Não é necessário saber todas as siglas, só as mais importantes para o seu segmento, ou departamento. Boa parte dessas siglas são usadas por contabilidades, e por isso, escolher um bom parceiro para gerenciar os processos contábeis da sua empresa é de extrema importância, e pode te dar um pouco mais de tranquilidade para alcançar novos projetos.

Leia mais:

A importância da Equipe de Implantação na Contratação de um Sistema de Gestão ERP

ERP – Você sabe o que é? E o que ele pode fazer para a sua Empresa?

Grupo Raotes

Adicionar comentário

Fale com um Consultor